domingo, 3 de maio de 2009

Em busca dos sonhos



Há muito que queria aqui escrever alguma coisa relacionada ao surf, esporte que, com muito pouca desenvoltura, pratiquei por longos cinco anos de minha vida. Quando tento me recordar da primeira vez que tomei um banho de praia me vem logo à memória algumas fotos junto com meu primo Flávio e minha mãe Dona Bete. Eu e ela havíamos acabado de chegar de são Paulo e até aquela data eu devia conhecer praia somente por filmes ou desenhos animados. Aquela ida a ilhéus foi tão importante que acabou comprometendo a minha volta à Sampa e toda a minha história. Naquele verão Dona Bete voltou sozinha para a capital e alguns meses depois eu completaria seis anos. Meus avôs, tios e primos me receberam com muito amor e sempre que possível com algum deles eu ia até a praia. Dois anos depois minha mãe voltou e junto com a família que mais tarde formamos praias desertas e pescarias passariam a fazer parte de nossas rotinas. Freqüentávamos as areias mais desertas de ilhéus, era o máximo, muitas das vezes que lá estávamos a chuva me presenteva com sua presença, sempre amei estar na água quando estava chuvendo, nunca consegui traduzir em palavras esta sensação, era como se naquele momento tudo estivesse conectado, terra, agua o ar. Era mágico.
Em uma dessas pescarias me enganei quanto a profundidade e se não fosse por um surfista e sua prancha talvez eu tivesse morrido. Ele me colocou em cima de sua prancha e me levou até minha mãe e meu padrasto. Nunca vou me esquecer deste dia, me sentir flutuando sobre a água mudou profundamente a minha relação com a vida e com o mundo, daquele dia em diante as ondas passariam a ser objeto de busca dos meus olhos curiosos. Passado um tempo me juntei com alguns amigos da comunidade onde morava e depois de, escondidos de nossos pais, ter-mos pego uma carona numa caçamba, chegamos até uma praia onde o surf era a bola da vez. Continuei frequentando a praia do Marciano durante anos. Quatro anos depois, agora com 16 anos, comprei minha primeira prancha e me aventurei nas ondas do havaizinho (Um dos melhores picos de surf que já surfei). Lembro de minha primeira onda no retâo e de minha primeira parede numa onda muito longa na praia do São Miguel. Fiz diversos amigos no meio do surf e passei a frequentar as ondas maiores das praias do norte da cidade. Podia chover, trovejar que eu estava lá! Esse era meu lema. Passava na casa de Alan baratinha ou na de Fábio marques e com nossas bicicletas arapongas mutantes pegávamos o rumo do norte e lá permanecíamos boa parte do dia, na maioria das vezes à base de pão, tubaína e muitas ondas. O melhor de tudo era estar dentro do mar com os amigos, não tinha graça surfar sozinho, precisava de um cúmplice para as desastradas manobras. Nesse período conheci Fabio e Dennis Tihara e logo nos tornamos parceiros das melhores aventuras de surf. Dona Toshico, sua Mãe, sempre me convidava para almoçar com eles me permitindo assim fazer o surf no final da tarde. De nossa galera o que mais surfava era o Dennis, o mais novo, o muleque espancava as ondas, sempre quebrava nos free surf e não demoraria muito a se consagrar na cidade, no estado e logo em seguida, no Brasil. Enquanto estávamos surfando nas ondas ilheenses e descutindo as mil e uma direcôes que os filmes de surf poderiam tomar, ele já estava embarcando para vários picos nacionais e, para a nossa alegria e para consagrar a sua saga, acabaria sendo convidado junto com outras promessas do surf brasileiro para fazer uma temporada no Havaí, Meca do surf.
Ele sempre foi o que mais continha o espírito do surf, amava fazer o que fazia e lutava com toda sua garra na tentativa de entrar para a primeira divisão do surf mundial. Ficávamos todos muito felizes quando o víamos dando entrevistas tanto para TV, rádios e revistas especializadas, era como se nossa galera estivesse sendo alí representada. Dennis passou bons anos no surf, conseguiu bons patrocínios, fez diversas surf trips, foi feliz e nós também, afinal ele era todos nós. O surf, como em qualquer esporte, exige resultados e a pressão dos patrocinadores se faz presente nas ameaças de finalização de contratos. Dessa forma muito bons atletas acabam entrando em fases ruins comprometendo assim todos os seus sonhos, esse foi o caso dele. Devido a pressão para que se tornasse o tão esperado super atleta e à falta de boas condições de surf ele foi aos poucos perdendo suas vantagens não demorando muito a se encontrar sem patrocínios. Dalí em diante teve que se esforçar muito para se reencontrar em seu mundo, não deve ter sido fácil. Dona Toshico foi importantíssima nesse processo, nunca deixou de acreditar nos sonhos do filho, o apoiando com muito amor e muitas vezes até mesmo se endividando para patrociná-lo em algumas competições. Com muita perseverança, e tambem depois de ter trabalhado junto com sua mâe por um ano no Japão, Dennis Tihara juntou forcas e dinheiro para embarcar para o Hawai, lugar onde se encontra a quatro meses surfando e se preparando para voltar à elite do surf brasileiro, lugar que para muitos ele nunca saiu. Do Hawai ele já engatou viajem para o Tahiti e de lá registrou os finais de tarde mais lindos que já vi, deve ter sido momentos como esses que o fizeram olhar para dentro de si e encontrar forcas para continuar lutando. Boa sorte meu brother. Boa sorte em sua caminhada. A sua luta acaba sendo a luta de toda criança que tem um sonho e o quer muito realizar. Estaremos aqui torcendo para que vc se encontre em sua busca, um grande abraço desse parceiro aqui para voce e para toda os amigos que fizemos através do surf. Aloha

Vou deixar aqui o link para o Blog do Dennis Tihara para que vcs possam acompanhar as estórias de suas surf trips podendo assim entrar um pouquinho mais no cotidiano desse atleta pelos lugares paradisíacos que ele vai conhecendo pelo mundo.

3 comentários:

Dennis Tihara disse...

sem palavras...tuda nessa vida passa,mais com certeza nossas amizade vai ser eterna!fico feliz pra caramba em saber que cada um ta tomando seu caminho....um dia vamos fazer akele final de tarde juntos e dar risada de tudo!familia hull...

valeu daniel,uns dos caras que fizeram parte do inicio do surf pra mim,sempre com nossos acampamentos malucos,feijaooo perfeito...

eh nois

abrigado

dennis tihara

Mago disse...

Voce toca fundo nas pessoas com suas palavras... tive o enorme prazer de compartilhar momentos de muita alegria e onda com voces (Hull Life Style).. em cada foto perfeita de Dennis que recebemos, nos sentimos com ele e com o sonho acesso de um dia estar correndo esse Mundo todos Juntos..

cada um no seu caminho.. mas quem sabe qq holiday nos encontramos num Fim de Tarde ?!?!

Abraco Cabral.
vc eh o CARA!

Magao

Fabio Tihara disse...

Somos uma família que como todas tem seus altos e baixos mas o sentimento que fica é sempre é o da amizade!!!a cada fase botamos uma vírgula na nossa história e muitos capítulos ainda serão escritos!!!abraço e vida longa HULL Family Style...